Debate

A Mostra Tiradentes é um reflexo histórico do seu tempo e espaço e registra um caminho percorrido e quais são as ambições temáticas e estéticas que vão moldar a nossa produção nas próximas décadas; por isto, propõe uma programação que vai além da exibição de filmes com o propósito de gerar uma reflexão de como os personagens, estéticas ou encaminhamentos narrativos permeiam os nossos principais movimentos cinematográficos.

A reação e a reinvenção do e no cinema. Esse eixo temático permeou os filmes, encontros, debates e discussões da 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes, realizada entre 20 e 28 de janeiro de 2017. A curadoria propôs olhar para a forma como o audiovisual brasileiro tem se comportado num período de crises e incertezas políticas do atual cenário brasileiro. Dedicado ao cinema brasileiro de invenção, reflexão e inquietação, o evento reuniu filmes e profissionais diversos para se dedicarem a complexas questões. O cinema reage, é uma reação dos criadores à vida. Reagem à observação do mundo, a uma reflexão sobre algo da existência deles ou de outros seres, não sem trabalho da imaginação investido nessa reação formal.

A proposição temática “Cinema em Reação, Cinema em Reinvenção” esteve presente desde as conversas sobre os filmes até o extrafílmico, especialmente nos questionamentos sobre representação e representatividade – e as diferenças entre um e outro.

Visando dar continuidade às discussões e aprofundar as que estiveram em pauta durante a 20ª Mostra Tiradentes, a programação da Mostra Tiradentes em São Paulo promove um debate conceitual e nove bate-papos após as sessões dos filmes da MostraAurora, do filme vencedor da Mostra Olhos Livres e de um filme da Mostra Cinema em Reação com a participação dos realizadores, profissionais e curadores do evento.

O debate conceitual enfoca o tema central do evento: Cinema em Reação, Cinema em Reinvenção, ampliando as vozes e reflexões sobre a produção atual com a proposta de conectar profissionais e plateia para pensar sobre os desafios contemporâneos, no cinema e em outras artes, de reagir às particularidades do tempo histórico, sobretudo pelo viés político do comentário, da denúncia ou da reivindicação social, sem perda de um empenho formal, expandindo e concentrando a temática da 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes.

DEBATE

CINEMA EM REAÇÃO, CINEMA EM REINVENÇÃO

A mesa tratará do desafio contemporâneo, no cinema e em outras artes, de reagir às particularidades do tempo histórico, sobretudo pelo viés político do comentário, da denúncia ou da reivindicação social, sem perda de um empenho formal. Os grandes momentos de crises e de transformações do século XX tiveram do cinema uma resposta não apenas temática, mas também e especialmente estilística, seja no neorrealismo italiano, nos cinemas novos sulamericanos ou no cinema argentino do fim dos anos 1990. Em um momento no qual tudo está em discussão e sob suspeita, o cinema pode se manter livre para ir a territórios proibidos, para expor as contradições e perversidades do mundo, para repropor outros modos existenciais, para nos deslocar de nossos pressupostos e para expressar as potências e limites de quem realiza os filmes. O cinema pode ainda, em muitos de seus segmentos, manter as situações mais complexas atrás das portas (telas) ou se manter obediente aos consensos e às legislações informais de como se
devem abordar certas questões e de como não se devem abordar outras. Em um cinema que reage, politicamente, quais as formas dessa reação? De que cinema político falamos? Um cinema com o qual concordamos e que apresente as causas corretas de modo correto? Ou um cinema de mais sutil e de mais complexa proposição em relação às complexidades do mundo?

Convidados:
Cleber Eduardo – curador
Helena Ignez – atriz, produtora e cineasta
Lila Foster – pesquisadora e curadora da Mostra de Cinema de
Tiradentes

Mediadora: Flávia Guerra – crítica de cinema, documentarista,
jornalista e editora do TelaTela (www.telatela.cartacapital.com.br)


BATE-PAPO | FILMES DA MOSTRA AURORA

Filme: BARONESA
Diretora: Juliana Antunes | MG
Mediador: Cleber Eduardo – curador | SP

Filme: EU NÃO SOU DAQUI
Diretores: Luiz Felipe Fernandes e Alexandre Baxter | MG
Mediador: Cleber Eduardo – curador | SP

Filme: SEM RAIZ
Diretor: Renan Movida | SP
Mediadora: Lila Foster – curadora | SP

Filme: UM FILME DE CINEMA
Diretor: Thiago B. Mendonça | SP
Mediador: Cleber Eduardo – curador | SP

Filme: SUBYBAYA
Diretor: Leo Pyrata | MG
Mediadora: Lila Foster – curadora | SP

Filme: CORPO DELITO
Diretor: Pedro Rocha | CE
Mediador: Cleber Eduardo – curador | SP

Filme: HISTÓRIAS QUE NOSSO CINEMA (NÃO) CONTAVA
Diretora: Fernanda Pessoa | SP
Mediadora: Lila Foster – curadora | SP


BATE-PAPO | FILMES MOSTRA CINEMA EM REAÇÃO

Filme: LAMPARINA DA AURORA
Diretor: Frederico Machado | MA
Mediadora: Lila Foster – curadora |SP

Filme: ENTRE OS HOMENS DE BEM
Diretores: Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros | SP
Mediador: Pedro Maciel Guimarães – curador | SP